quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Como se "rouba" e se "gasta" dinheiro público neste país!

“Não há nada mais fácil que gastar dinheiro público, parece que não pertence a ninguém”. Frase do ex-presidente americano Calvin Coolidge pronunciada em 1929. Frase muito inteligente e esclarecedora mas que para o Brasil de hoje merecia uma pequena modificação; ao inves de “gastar” a palavra mais certa seria “ROUBAR”. Os canis de Brasília continuam em guerra declarada, é um cachorro querendo morder o outro, espero que todos estejam com o Rhabdovirus (vírus da raiva canina), assim o produtor cinematográfico Quentim Tarantino terá um excelente roteiro para filmar uma super produção e à qual poderá dar o título de “Política Tupiniquim”, onde a seu gosto, restarão poucos sobreviventes.
* Texto por Humberto de Luna Freire Filho, médico

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

A Pseudo-arte ideológica.

Em 9 de agosto de 1898, o pai de Gramsci foi preso sob a acusação de peculato, concussão e falsidade ideológica e, em 27 de outubro de 1900, foi condenado à pena mínima de 5 anos, 8 meses e 22 dias de cadeia. Sua origem já poderia dizer muito de quem se tornaria o homem que influenciou centenas de cabeças no Brasil, para mudar nossa origem judaico-cristã, nosso direito romano e filosofia grega.
A Revolução foi silenciosa e muito inteligente, próspera. Funcionou e continuará atuando por décadas. Com ela, o baile funk, a lei Rouanet, o feminismo que prega a igualdade de direitos entre homens e mulheres, mas que na prática transforma as mulheres em objetos não só sexuais como nos diminuem com cotas, como se precisássemos delas para sermos o que somos.
Não somos melhores nem piores do que os homens. Somos diferentes. O feminismo veio com tanta força que o "mimimi" é cada vez mais entoado como se isso fosse sinônimo de força. Pobre delas que não enxergam que estão se subutilizando, subestimando, subjugando.
Agora, como mães , estão tentando nos enganar, estão tirando a inocência de nossas crianças e as mães que não aceitarem este jogo gramisciano, estão "fora de moda". Os globaixxx já estão aderindo, artistas, políticos. Mas porquê? Se no Brasil somos uma maioria de conservadores, porque estamos deixando que isso aconteça?
É simples. Porque estamos trabalhando, alimentando nossos filhos, cuidando de nosso lar, ocupados com nossos amigos, amizades verdadeiras. Não estamos gastando nosso dinheiro com maconha e pensando em como chocar cada vez mais a sociedade.
Eu sempre fui ótima aluna, nunca precisei estudar para passar nas provas. Comecei a trabalhar na 8ª série, saía do colégio direto para o trabalho, no shopping, e lá ficava até 22h, quando minha mãe me buscava, chegava em casa, fazia brigadeiros para vender na escola e tirar uma grana extra.
Aos 17 anos passei em 16º lugar para Arquitetura na Universidade Federal de Uberlândia. Sempre desenhei muito bem e uma psicóloga amiga disse que eu levava jeito, após teste psicotécnico (que furada), para ser Arquiteta. Dos 25 alunos, 23 tinham tendências homossexuais e faziam questão de tentar me levar para o mesmo caminho. Professores fumavam maconha com os alunos.
Na primeira viagem com a turma, para Brasília, um professor me ofereceu maconha "para poder dormir melhor", me ofereciam garotas de todos os tipos, até que eu apelei um dia e disse que meu negócio era "benga" mesmo, uma expressão muito utilizada por mineiros. Eu os aceitava como eram, porque não podiam me aceitar como eu sou? Depois vieram as preferências pela arte clássica. Meus projetos eram todos anteriores à Arte Moderna ou Contemporânea e eu perdia pontos por isso.
Fiz uma vez uma pintura do Fórum de Uberlândia, ficou perfeito, pareciam fotografias feitas por observação ao ar livre, mas levou um 10 o aluno que esticou uma meia calça, prendeu com grampos e pregos e jogou tinta por cima. Pensei: "uma criança de 6 anos pode fazer isso, não há qualquer talento aplicado, não há técnicas de difícil aprendizagem, assim como enfiar uma vela acesa na bunda, ficar pelado no meio de uma sala ou escrever palavras de baixo calão em hóstias.
E não sou só eu, uma reles crítica de política, ex estudante de arquitetura que digo, o Dr João Borzino, médico clínico sexologista e terapeuta sexual, que afirmou: "Crianças estimuladas e tocar em homens nus (...) aquilo é absolutamente errado, (...) aquilo faz mal para as crianças, a sexualidade infantil está em gestação nas crianças e deve ser respeitados os momentos e as fases das crianças para que elas desenvolvam uma sexualidade e uma afetividade, que uma coisa não está ligada à outra, saudável. Para isso, existe uma sequência de colocações adequadas, referentes à cada fase da criança, desde bebezinho. Se houver uma interferência negativa, ou seja, uma criança tocando o corpo de um homem nu, desconhecido, o que traz para nós que não são crianças de algo para igual igual, da mesma idade se reconhecendo, existe uma disparidade, que vai levar a consequências ansiosas, culpas que não têm ainda um aparato afetivo já bem estruturado, para interpretar este tipo de situação de forma amena ou natural. Não! Na cabeça dela, isso vai levar a um transtorno de vários graus, desde os transtornos ansiosos, depressivos ou desvios de objeto na sexualidade".
Cuidado mães e pais!! Estão lhes enganando, patrocinados com o dinheiro de seus impostos. Arrastarão seus filhos a estas exposições de pseudo-artes. Não deixem, não se calem!!!
Estou cansada, há muito tempo, destes pseudo-artistas. Eles só sobrevivem graças à lei Rouanet ou lavagem de dinheiro de grandes bancos ou entidades.
O brasileiro não pode ficar mudo diante desta comiseração de nossa capacidade artística, não queiram comparar os nus de Michelangelo com estas taradices disfarçadas.


* Texto por Carla Zambelli - Movimento NasRuas

domingo, 8 de outubro de 2017

A legítima Intervenção contra os Donos do Poder

Dez anos atrás, quem cogitava sobre a possibilidade de Intervenção (Militar, Constitucional, Institucional ou Civil) era chamado de “maluco” ou “golpista”. A crise estrutural do Estado-Ladrão brasileiro se agravou tanto que, atualmente, o assunto apavora 11 entre 10 investidores no mercado financeiro e assusta 13 entre 13 políticos corruptos. A instabilidade política tende a aumentar, mesmo que a economia ensaie mais um habitual voo de galinha.
A Intervenção, não importa de qual formato e modalidade, é inevitável. Não existe outro remédio democrático para impedir a hegemonia criminosa que alimenta a guerra de todos contra todos os poderes. O caos se agrava graças a uma Constituição “interventora” que permite conflitantes e diferentes interpretações. A Carta de 1988 se desmoralizou. Precisa ser substituída por uma nova - mais liberal, enxuta e definidora de princípios. É nisso que a sociedade brasileira tem obrigação de focar sua atenção.
O Brasil tem que mudar. A irresponsabilidade da esquerda – em sua versão social-democrata tucana ou comunistóide petralha, em parceria com os cínicos governistas do PMDB, PP e DEM – escancarou para todo mundo e desmoralizou o regime Capimunista e Interventor do Estado-Ladrão. O aspecto ruim é o estrago material e cultural que o Crime Institucionalizado causou. O lado “bom” é que o caos consolidou na maioria das pessoas a vontade por mudanças urgentes. Daí a popularidade da tese da “intervenção”.
Bandidos profissionais e analistas ideológicos amadores se borram com a ideia da “Intervenção Militar”. Eles aproveitam a falsa noção de “ditadura militar” – consolidada pela mídia e por ideólogos de canhota no imaginário dos brasileiros – para dar faniquitos. Os militares não querem e não darão golpe. Mas os Generais não aceitam mais a evolução da anarquia e da corrupção. Por isso, porta-vozes credenciados, como o General Mourão, o General Pujol, e o General Villas-Bôas mandam recados democráticos ao Judiciário – que as bichonas amedrontadas interpretam como “ameaça de golpe”.
Em recente artigo no Estadão, o General de Divisão na reserva, Luiz Eduardo da Rocha Paiva, rompeu, claramente, com todos os mitos acerca da natureza do intervencionismo: “A intervenção militar será legítima e justificável, mesmo sem amparo legal, caso o agravamento da crise política, econômica, social e moral resulte na falência dos Poderes da União, seguida de grave instabilidade institucional com risco de guerra civil, ruptura da unidade política, quebra do regime democrático e perda de soberania pelo Estado. Esse processo revolucionário já foi propugnado, publicamente, por líderes de movimentos pseudossociais e políticos de ideologia socialista radical, todos investindo constantemente na divisão da sociedade”.
Rocha Paiva acrescenta: “Em tal quadro de anomia, as Forças Armadas tomarão a iniciativa para recuperar a estabilidade no País, neutralizando forças adversas, pacificando a sociedade, assegurando a sobrevivência da Nação, preservando a democracia e restabelecendo a autoridade do Estado após livrá-lo das lideranças deletérias. São ações inerentes às missões constitucionais de defesa da Pátria, não restrita aos conflitos externos, e de garantia dos Poderes constitucionais, da lei e da ordem”.
Vale repetir por 13 x 13: A Intervenção é inevitável, inadiável e imprescindível. Não tenham dúvidas de que a Intervenção Constitucional acontecerá no momento exato em que as pré-condições estiverem consolidadas ou se a violência e a insegurança criminosas saírem do controle.
A revolta individual do brasileiro é contra o Estado-Ladrão. A máquina estatal fascista, nos municípios, nos estados e na União, é a inimiga de todos. É esta máquina que já promove uma “Intervenção Criminosa”. A sociedade já reage para impor a legítima Intervenção Constitucional. Os donos do poder que se preparem, porque vão sentir a ira popular.
E não adianta tentar censurar o povo, como tentou aquele deputado que serviu de laranja para a fascistagem... A verdade se impõe...

sábado, 30 de setembro de 2017

A esquerda quer desmoralizar a família e a sociedade.

O estrago que a mentalidade revolucionária causa na sociedade é imensurável e, muitas vezes, irreversível.
A cínica nota do MAM sobre o degradante incentivo à uma criança tocar um homem nu sob o pretexto de que a "perfomance" não tem nada de erótico é, já pelo título da mesma, desmontada imediatamente. " La Bête" é o título de um famoso filme erótico francês da década de 70 e tanto o curador do Museu quanto o autor daquela aberração devem, ou deveriam, saber disso.
Também sabem que estão usando de forma leviana a obra " Bicho", de Lygia Clarck, para justificarem o crime ( vou repetir pois é inacreditável ) de incentivarem uma criança a tocar um homem completamente nu.
Entre a obra de Clarck citada e bulir num humano pelado há um abismo de diferença que nem o maior esforço possível de relativização será capaz de desfazer. O fato do pelado estar segurando um origami não é o suficiente para dizer que é uma releitura da instalação do final da década de 60. Também sabem disso, repito.
Mas para a mente revolucionária nada disso importa. 
Nem a lógica, nem os fatos e muito menos as consequências de seus atos. 
Então, cabe a nós resistirmos à essa fúria impiedosa que avança, a passos largos, rumo à destruição da Civilização e de todos os seus valores.

A propósito, o Conselho Tutelar já notificou a mãe da criança e o Museu?
É urgente que o faça.
A degradação e o horror nadam de braçada.

·       *Texto por Michele Prado

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

A arte que a esquerda quer difundir:Até quando a sociedade permitirá?




























SEJAMOS HONESTOS: ISTO É ARTE???
Leiamos o texto de Adriano Soares da Costa :
A pedofilia começa com a naturalização de certas "expressões artísticas". E como há pais cretinos que se deixam intimidar pelo politicamente correto e querem, por autoafirmação, se mostrar "descolados", "cool"!!!! Veja aí o que é arte!!! A foto... a genitália do "artista" para que você... veja o ato libidinoso, porém as crianças podem ver o cara nu normalmente...
...
Isso aí: tudo é cultural, tudo pode ser ressignificado, tudo pode ser aceito...
A pedofilia será o próximo passo a ser naturalizado. Já começou. Daqui a pouco a Rede Globo lança uma propaganda com o nome "RESPEITO", mandando que você aceite a pedofilia como expressão do amor...

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Afinal qual é a do Dallagnol?

O procurador esteve em encontro, em "petit comitê",na residência de Caetano Veloso e mais um grupo de esquerdistas "militantes". Parece-me que ele fora de bom grado e muito satisfeito pelo convite.
Ele pode até ter sido imparcial, até aqui, e até torcemos que ele continue assim, mas que a esquerda aproveita os seus anseios políticos e já começa a tentar "amaciá-lo"...ou não tenho dúvidas...Ou eu estaria errado?

sábado, 23 de setembro de 2017

Um governo trapalhão.

Romero Jucá deu entrevista ao Estadão e disse que a segunda denúncia da PGR contra Michel Temer, “sem pé nem cabeça”, vai atrapalhar a tramitação da reforma da Previdência.
Também criticou Rodrigo Janot, que tenta “atrapalhar o Brasil” –mesmo já sendo página virada na Procuradoria-Geral da República.
É muita gente tentando atrapalhar um governo que já se atrapalha sozinho.

* Via O Antagonista.

A Justiça não é cega.


justica.jpg
Por Renzo Sansoni

A esquerda está destruindo o Brasil. Precisamos reconstruir as vias do progresso.

A BR 319 a rodovia que liga Manaus a Porto Velho (870 km) foi construída e pavimentada na década de 70 pelo governo militar. 
Após isso o desenvolvimento e o progresso do Brasil foi severamente prejudicado por sucessivos governos de esquerda, até subir o PT ao poder. Essa rodovia também ficou totalmente prejudicada e abandonada. Agora parece que está havendo crescente e forte pressão para que essa rodovia e outras rodovias como BR 163 que liga Cuiba(MT) a Santarem (PA) seja integralmente restaurada.