domingo, 13 de agosto de 2017

Tropas de assalto. Caravana de Lula pelo Nordeste receberá reforço de grupos esquerdistas.


Militantes de movimentos de esquerda escoltarão o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante a caravana que fará pelo Nordeste brasileiro a partir da próxima quinta-feira (17). Integrantes do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) e de sindicatos rurais acompanharão, em suas motos, a chegada de Lula às cidades do interior do Brasil.
Segundo petistas, o cortejo tem dupla função: atrair atenção e intimidar os opositores do ex-presidente. Os dirigentes nacionais do MST se dividirão para coordenar a recepção a Lula, que visitará 25 cidades.
Embora a segurança do ex-presidente fique a cargo da GSI (Gabinete de Segurança Institucional), da Presidência, uma equipe do Instituto Lula procurou as Casas Militares dos governos estaduais para discutir medidas complementares para sua proteção.
Presidente do instituto, Paulo Okamotto, afirma que foi um “mero gesto de educação”. A assessoria do ex-presidente explica que é um procedimento de praxe.
A Casa Militar do governo de Pernambuco, por exemplo, informou ter recebido solicitação, por parte da Secretaria-Geral da Presidência da República, de apoio operacional à visita.
Em Pernambuco, Lula visitará a comunidade de Brasília Teimosa e participará de ato no parque Dona Lindu. Em Sergipe, fará de barco uma travessia do rio São Francisco. Antes participará de atividade ao lado de mulheres catadoras de aratu.
Em Salvador, embarcará em vagão do metrô ao lado do governador Rui Costa e do ex-ministro Jaques Wagner. Um dos responsáveis pela organização da caravana e vice-presidente do PT, Márcio Macedo, afirma que uma equipe será encarregada de vistoriar as cidades visitadas antes da chegada de Lula.
“Haverá precursora política, de comunicação, e de segurança, como em todos os atos em que o presidente Lula participa”, diz Macedo.
Escalado no PT para organização da viagem, Macedo diz também que “a segurança de Lula é compatível com o fato de ele ser ex-presidente da República e a maior liderança política e popular do país”.
Ao longo da caravana, o ex-presidente se reunirá com líderes políticos de diferentes matizes partidárias. Na quarta, jantará com o governador Renan Filho e o senador Renan Calheiros (PMDB), em Maceió. Também está prevista uma reunião com integrantes do PMDB da Paraíba, onde se reunirá com o governador Ricardo Coutinho (PSB).
Sua caravana já produziu tremores no Ceará, onde o governador Camilo Santana (PT) é aliado dos irmãos Ciro e Cid Gomes. Potencial candidato a presidente pelo PDT, Ciro está, segundo aliados, contrariado com a acolhida dedicada a Lula.
Ciro já avisou que não participará de atividades dedicadas a Lula em seu Estado. Ao responder se acredita na hipótese de obter apoio petista na corrida presidencial, Ciro é nada otimista. “Só se eu vencer e passar ao segundo turno, e eles não”.
Embora tenha sido condenado pelo juiz Sergio Moro em primeira instância, Lula deu sinais de esperança na manutenção de sua candidatura ao traçar seu roteiro pelo Nordeste. Segundo colaboradores, recomendou que fossem selecionadas cidades que não possa visitar durante a campanha presidencial de 2018.
Lula também pediu um levantamento de todas as realizações dos governos petistas nas regiões visitadas. E fez um pedido: pernoitar em hotéis para evitar que crianças sejam tiradas de suas camas para acomodar um ex-presidente. 
* Via Folha de S. Paulo

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

A roubalheira de Sérgio Cabral parece não ter fim.



Ontem o MPF apresentou mais duas denúncias contra Sérgio Cabral, como desdobramento da Operação Ponto Final. Segundo os procuradores do MPF, a roubalheira é tão grande que "fica difícil imaginar o final". 
Cabral já foi condenado a 14 anos e dois meses de prisão pelo juiz Sérgio Moro. É réu em 11 processos que estão nas mãos do juiz Marcelo Bretas, e agora enfrenta mais duas denúncias, onde também deverá virar réu. E como frisa a força-tarefa da lava Jato no Rio não para por aí. 
Não foi por falta de aviso, cansei de denunciar a corrupção de Cabral durante anos, que as autoridades do Rio não tomaram nenhuma providência. Eu avisei!

O pior está por vir.

video

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Palavras enganosas para venezuelizar o Brasil.

Será que o governo Temer é tão bom a ponto de o Psol ter de mentir para fazer-lhe oposição? Na propaganda eleitoral gratuita, no rádio (25/07/17), o Psol foi o de sempre. Numa das "inserções", por exemplo, a ex-deputada Luciana Genro - que, para demonstrar a profundidade do seu pensamento, abriu com um originalíssimo "Para começar, fora Temer!" - fez malabarismo retórico para dizer sem dizer que é culpa de Michel Temer haver 14 milhões de brasileiros desempregados. Tudo bem! Ele era o vice de Dilma.
Mas, como bem sabe Luciana Genro, Temer assumiu o governo com o país ladeira abaixo, com mais de 12 milhões de desempregados, inflação disparando, juros estratosféricos e nenhuma previsão de crescimento. E ela sabe mais, o que empurrou o Brasil para o abismo econômico foi existir, com as impressões digitais de Dilma Rousseff, a macabra combinação de absoluta incompetência administrativa com roubalheira descontrolada.
Estarei defendendo Michel Temer? Não! Só alguém com deficiência cognitiva tiraria semelhante conclusão: repelir uma acusação falsa não implica ignorar os erros do presidente. Ademais, basta ter juízo – não sei se alguém do Psol tem - para enxergar a realidade. Fato é que, apesar de estar enrolado com a polícia, o governo Temer começou a recuperar a economia. Inclusive, embora lentamente, o desemprego vem caindo. Sim, é um governante menor do que o seu governo: a equipe do suspeitíssimo Michel Temer conseguiu melhorias palpáveis na economia, desfazendo pouco a pouco o desastre deixado por Dilma.
Mas o Psol não terá nada de base conceitual a discutir? Nenhuma ideia? Não conseguirá ir além daquela arenga de grêmio estudantil, atacando as reformas que, há não muito tempo, até as esquerdas pediam?
Não. O Psol jamais fará uma oposição racional. E se o governo é ou não acossado por denúncias não muda nada em sua agenda. Porque o objetivo do Psol é o caos social e político, reduzir tudo a ruínas para, num final imaginado por ele, implantar a sua ditadura do proletariado. Sim, o Psol, que é só um PT sem grife, quer venezuelizar o Brasil.
* Por Renato Sant’Ana, Psicólogo e Bacharel em Direito.( www.alertatotal.net)

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Ele venceu! Uma análise do ex-presidente Lula.

Ser vitorioso independe do lado em que se terça as armas: se em nome da consolidação das instituições nacionais, se em nome da destruição de todas elas. O que distingue o vencedor é o resultado atingido ao pôr em prática as formas de ação para alcançar os objetivos pretendidos. Ora, Lula é um vitorioso quanto ao seu desempenho e a de seus asseclas na demolição do tríplice alicerce do Estado: a Família, a Educação, a Fé. Não há como negar esta verdade.
Refiro-me à Fé, à Crença, e não à Igreja, tão poluída quanto qualquer outra instituição. O país desmoralizou-se, tornou-se promíscuo, liberou o materialismo arraigado nessa doutrina infame pela qual reza o rebotalho dos que infectaram Brasília e contagiaram todas as demais capitais.
Por isso, qualquer que seja o veredicto das sentenças futuras que venha receber o abjeto Lula, qualquer que seja o seu destino na vida particular e pública, terá já conquistado o laurel de vencedor. O miserável torneiro mecânico deu asas à sua imaginação nanica de sádico e pôs à deriva uma nau gigantesca que espera um comandante patriota para fazê-la retornar ao porto seguro. Todo o esforço desenvolvimentista do governo militar submerge na irresponsabilidade dos sacrílegos Lula, Dilma, e na dos chicaneiros dos outros Dois Podres Poderes da República.
Quem, senão ele, participa, em primeiro plano, das estatísticas internacionais como o maior assaltante de cofres públicos e de estatais que o mundo já conheceu? Quem, senão ele, destruiu todas as instituições do país em pouco mais de uma década? Sim, Lula é o grande vencedor! E pode gabar-se desse feito inédito e internacional ao lado do séquito de comparsas, levantando a munheca vermelha e grunhindo a frase que se tornou legenda de sua vil presença neste território que sempre detestou: “Nunca na história deste país ...”, e acrescentamos nós: houve um presidente que destruísse o Brasil como o migrante de Garanhuns!
O repugnante sujeito não rompeu as fronteiras da rejeição, não impôs a sua cara congestionada, sua voz grosseira, seu palavreado de pasto, para governar com decência o país. Não tem alma nobre para tal missão; ocupou o Executivo apenas para vingar-se de ter nascido pobre, de ser “filho de mãe analfabeta”. Para ele, a nação lhe devia com juros a sua infância miserável. A sua única meta, portanto, foi realizar a rapina de todos os dutos que pudessem satisfazer a concupiscência de um torneiro mecânico alçado ao trono de uma claudicante república.
Ensinaram-lhe o significado literal de ‘coisa pública’. E assim entendida, botou-a, rapidamente, no bolso, sem-cerimônia. Comprou o apoio da ralé estrangeira com o dinheiro do contribuinte brasileiro; permitiu a entrada de quem quer que seja em nosso território e se vangloria disso ao rosnar para a fiel plateia de seu aprisco, as asnices de ébrio.
Como a Justiça no Brasil parece também estar a caminho do camburão, nada acontece com ele quando, nos arroubos de fanfarrão, confessa abertamente a traição e a intencional bancarrota do país. Cobertos pela toga, magistrados empertigados, igualmente destroem o país, entupindo os ouvidos da maltratada população com um dialeto de casta, com um jargão de gueto. Estando ausente o notório saber, tomou o seu lugar o notório engrupir.
Lula é, realmente, vitorioso. Vitorioso na crueldade, à custa do sofrimento dos “oprimidos” que diz defender. Que todos sejam como ele, é o seu supremo desejo: um indivíduo sem categoria definida. Vitorioso, ao destruir a Educação quando já havia destruído a Família. Sem alicerce familiar a Educação não se sustenta. Sem a Fé, não nos sustentamos. Vitorioso, ainda, ao destruir a inocência das crianças, ao liberar nas escolas o lixo da promiscuidade sexual, travestida de “gênero” que autores perniciosos, adoradores do ídolo ordinário, disseminaram.
Vitorioso ao dominar a mídia para veículo de desmoralização das Polícias Militares e das Forças Armadas. Vitorioso ao exterminar com a Saúde no Rio de Janeiro, por vias do apoio ao sórdido Sérgio Cabral e à sua miserável quadrilha.
Lula venceu, sim. Vitorioso na ignomínia, no retrocesso moral e na desintegração do país. Lula é o símbolo do Vazio, do Roubo, da Traição, da Mediocridade, da Incultura, do Asco. Destruiu um gigantesco Brasil em quatorze anos e que levará meio século, ou mais, para se reerguer, se houver um dirigente à altura e que tenha por ele alguma afetividade e noção de civismo.
O vencedor transformou as instituições em células do PT, a maior Organização Criminosa de todos os tempos. Fez das Estatais doadores de sangue para fortalecimento do corpo patrimonial dos confrades; substituiu o Estado pelo governo, representante máximo do desqualificado partido. Toda a destruição planejada executou e fez executar. É ou não um vencedor? É ou não o “bezerro de ouro” das camadas enfurnadas na sua própria alienação?
* Aileda de Mattos OliveiraDr.ª em Língua Portuguesa. Acadêmica Fundadora da ABD. Membro do CEBRES)